ASSISTA AQUI O FASHION TALK COM ALFIO LAGNADO - MERCADO ESPORTIVO E FUTURO 08/05

Atualizado: Jun 1

Edição 2:


N.EVSKY > Convidamos Alfio Lagnado, empresário com 40 anos de experiência no segmento esportivo, fundador e idealizador da marca Hang Loose. Durante a sua trajetória, Alfio gerenciou e deteve as licenças das principais marcas de boardsports do Mercado brasileiro, como: Quiksilver, Volcom, Reef, Rusty, entre outras.

Hoje é dono da Surf CO, empresa com um pool amplo de marcas de urban/surf/skate.


N.EVSKY >Se fizermos uma retrospectiva sobre o que aconteceu com o mercado de action esportes globalmente, veremos marcas como Quiksilver e Billabong sendo compradas por fundos de private equity, a Ripcurl sendo vendida para um grupo de outdoor esportes, que é a marca Neozelandesa KATHMANDU, e de forma

geral todas as marcas sendo lideradas e administradas por bancos ou empresas onde o resultado financeiro vem em primeiro lugar.

Isso acarretou em cortes brutais de equipes, e acabou prejudicando a qualidade dos produtos(em virtude de custos absurdamente reduzidos juntamente a cadeia de fornecimento), impactando diretamente no posicionamento destas marcas.

Grande parte das marcas de surf/skate foram fundadas a 30/40 anos atrás e tinham como principal diferencial o lifestyle presente na alma dos seus respectivos fundadores. Esse lifestyle foi se dissipando ao longo do tempo e chegamos aos dias de hoje.

O QUE ACONTECEU COM A INDÚSTRIA DE SURFWEAR NO BRASIL E NO MUNDO? Como será o futuro deste mercado?


Segundo Alfio, "O mercado de boardsports quando começou no Brasil era feito basicamente de amigos, onde os fabricantes eram amigos, patrocinávamos um monte de surfistas, que também eram amigos, fazíamos campeonatos entre amigos e todos se ajudavam. Tínhamos um ecossistema, haviam revistas especializadas que anunciavam as nossas marcas e de forma geral todos vivíamos muito bem! Existia ganância, competição! Mas era super saudável! O próprio ecossistema protegia as nossas marcas e mantinha as mesmas bem posicionadas como "core" ou "autênticas"! Os outsiders não tinham muito espaço e outras marcas não entravam facilmente no mercado. Vivemos muito bem, por muitos anos!"


" Então as marcas começaram a abrir capital e o negócio foi tomando proporções bem maiores, o que inicialmente foi positivo! Tínhamos lojas lindas pelo mundo, o investimento de grandes empresas no mercado tinha potencial para fazer o mercado deslanchar! Porém, erramos! Digo: erramos de forma geral! o mercado como um todo! Essa necessidade de crescimento rápido inverteu os valores. Naquele momento passamos não mais a responder aos "sonhos", e sim aos grandes mercados financeiros do mundo, de repente respondíamos para WALL STREET, e responder para esse gigante significa responder para: market share e resultados financeiros imediatos...eu não acho isso ruim! Mas existem formas de fazer isso, e uma das formas é através da segmentação, que infelizmente as empresas de surfwear não souberam implementar! A má gestão, a falta de segmentação e erros de distribuição dos produtos no mercado fizeram com que as empresas perdessem o controle!" ALFIO > "Falando de futuro: teremos que se reinventar! O mercado vai encolher, vai ficar muito menor e muito mais nichado. Meu sonho seria termos uma oferta de lojas menores e autênticas! O próprio enxugamento do sistema vai fazer com que as empresas diminuam de tamanho, tenham coleções reduzidas, com mais margem e mais investimento no canal on-line. As marcas precisam ter um canal B2C feito com carinho, seja no canal físico ou no canal on-line. Infelizmente as grandes marcas sofrerão muito!"


> Para continuar lendo a nossa matéria, clique no vídeo abaixo e assista o TALK na íntegra.




867 visualizações

  @ N.EVSKY