ASSISTA AQUI: FASHION TALK COM ALBERTO HIAR "TURCO LOCO" - O MERCADO DE STREETWEAR

Atualizado: Jun 1

   Convidamos o Alberto Hiar, o "Turco Loco", empresário do segmento de streetwear. Ganhou o apelido de "Turco Loco"na televisão pois quando fazia promoção, diziam: 'O Turco ficou louco".

   Começou a carreira política em 1994, onde defende políticas públicas para a juventude com esporte, lazer e inclusão social (para combater as drogas). Acredita que o jovem tem de ser o protagonista de sua história e buscar qualidade de vida e respeito como cidadão. Idealizador e Diretor criativo da marca Cavalera, atualmente é o presidente da ABEST.


   N.evsky: Alberto, existe um fator que impacta muito o canal de moda de maneira geral, que é o canal de distribuição. Criamos uma dependência do varejista multimarca lá atrás, todo mundo vende tudo para todo mundo, e a longo prazo muitos segmentos sofrem em virtude dessa falta de segmentação. Diríamos ser quase impossível se "demitir" destes clientes pois criamos uma cultura de políticas comerciais ultrapassadas, onde as marcas ficaram "presas" no "old way of thinking". Como você vê o canal multimarcas e a dependência das marcas para o mesmo?


" É preciso ter uma coleção segmentada para cada canal. Por exemplo, se você tem um canal "P1", ideal ter o representante que atenda "P1" e esse deve focar o seu trabalho em torno destes clientes. O representante que vende P3, P4, vai focar em seus outros clientes, no caso o cliente "P4" não deveria poder comprar "P1" e vice-versa. As marcas precisam aprender a lidar com isso, deixando de ser reféns dos gerentes comerciais. Existem milhares de canais, milhares de clientes, não dá para ter uma coleção única que fale a mesma linguagem de todos! ".


"Não dá para ter uma coleção única que fale a mesma linguagem de todos! ".


N.evsky: Em virtude desta má distribuição, muitas marcas consolidadas no street/skate, acabam atingindo um público "logo lover" que não faz parte do "pool" ideal de consumidores e de posicionamento. Como você acha que as marcas podem evitar esse processo de "logolização"?


" Vende o "logo" pra ele! Aumenta o preço!


" Sempre vendi tudo que tinha logo 10% mais caro do que o restante! É uma forma de você tentar controlar a venda massiva de logos! Outra coisa importante é qualidade! Não é por que tem logo, que tem que ser um produto sem qualidade, muito pelo contrário! E outra, cada um vai ter que achar a sua "receita"! É preciso antes de mais nada saber o que você quer vender e entender onde você estaria posicionando sua marca! Para mim, a receita é investir em criatividade, em inovação! E outra coisa que acho fundamental em um negócio é a diversidade! Não faça reuniões com pessoas iguais! Ou seja, todo mundo com a mesma cara, mesmo jeito, mesmos pensamentos, mesmo colarinho branco! Reunião tem que ter gente de todos os tipos e principalmente, tem que ter mulheres! Tem que ser plural, tem que ter várias verdades várias opiniões! Isso é o que vai enriquecer a sua vida e o seu negócio".


"E outra coisa que acho fundamental em um negócio é a diversidade! Não faça reuniões com pessoas iguais! Ou seja, todo mundo com a mesma cara, mesmo jeito, mesmos pensamentos, mesmo colarinho branco!"


Para assistir a nossa matéria na íntegra clique no vídeo abaixo.


61 visualizações

  @ N.EVSKY